Colunas Vitrine

Lunna Dias: Desmistificando o Sucesso

Ano novo, vida nova e tema novo!
O Vitrine “batizou” a coluna desse ano de ‘Sucesso’. Então resolvi reverter o tema para algo que venho pensando há muito tempo, o mito do sucesso fácil. O sucesso além de não ser fácil, não ser rápido, exige muito (mas, muito mesmo!!!) mais do que vontade de tê-lo. A cultura brasileira, de certa forma, nos vende a ilusão de que há inúmeras facilidades. É só ir com “jeitinho brasileiro” que sua hora chega. Porque de uma hora para outra todas as pessoas bem sucedidas que conhecemos acordaram com sorte e sucesso, assim do dia para noite. Então, não se preocupe isso vai acontecer com você também! Em minha opinião, esse mito é danoso, pois basta se acomodar e esperar o “grande dia” chegar, afinal você tem muita “força de vontade” que isso aconteça. Não é mesmo? Não é bem assim.

Para exemplificar melhor vou trazer aqui casos reais, de pessoas reais e suas trajetórias de sucesso. Os profissionais vão nos contar uma breve história de suas carreiras, as principais dificuldades que enfrentaram e quais valores acreditaram para seguir em frente e alcançarem o sucesso. Iniciaremos com Max Delys, que tem 38 anos e é formado em Gestão de Recursos Humanos. Eu o escolhi para a estreia por um motivo muito especial, a vontade que ele tem de fazer sempre o certo. E acabou que a história dele lembra a de muitos jovens. Ele iniciou sua carreira como jovem aprendiz aos 14 anos no Banco do Brasil de uma cidade do interior do Estado. Ao mudar-se para Palmas para estudar e trabalhar conseguiu trabalho em um Posto de Combustível, passando por vários cargos até chegar a gerência. Nesta empresa ele ficou por 5 anos e foi em busca de novos desafios profissionais que foram desde um negócio próprio, trabalho de vendedor, de Supervisor de Vendas até novamente, ingressar na área de posto de combustível. E vários sucessos permearam este caminho, como ser selecionado no processo seletivo de uma multinacional, ser o único colaborador mantido em uma empresa que foi vendida para outro grupo e ser promovido a Gerente Geral em menos de 2 anos de empresa.

Max relatou que a maior dificuldade que sempre enfrentou foi controlar a ansiedade em querer crescer profissionalmente. Percebia que, às vezes, somente os bons resultados no cargo que ocupava não eram suficientes para garantir uma promoção. Percebeu que levava tempo e era necessário aguardar esse tempo certo. Além de aplicar tudo que aprendeu nos empregos anteriores, sempre prezava trabalhar com transparência, disciplina, dedicação e ser referência e exemplo para os outros colaboradores. E foi assim, que conseguiu alcançar hoje a Gerência Geral da Rede de Postos Trevo, onde trabalha há 2 anos.

O que podemos aprender com o exemplo do Max é que o tempo de maturação da carreira profissional existe e não é possível apressar as coisas. É possível apenas continuar realizando um bom trabalho. Ele não foi promovido a Gerente Geral só pelo que fez nestes 2 anos no grupo, mas sim por tudo que ele vinha fazendo no decorrer da sua carreira. E por fim, dificilmente se chega a um dos cargos mais importantes de uma empresa, se antes de tudo, você não for um exemplo para os outros. Pois afinal no topo somos vistos por todos.

O caminho ainda é longo, mas o Max vem trilhando muito bem. Se continuar com esses valores de vida vai deixar um legado ainda maior por onde passar. Vamos aprender um pouco com o exemplo do Max. Sucesso Max e obrigada pela contribuição!

Sucesso a todos!

Lunna Dias
Psicóloga, Master Coach, Formação como Consultora DISC, Formação de Analista de Cargos e Salários, MBA em Gestão de Pessoas, Especialista em Arte, Educação e Tecnologias Contemporâneas. Dúvidas e sugestões: lunnadias@smartgroupbrasil.com.br
TWITTER
MAIS LIDAS
RECOMENDADAS