Concursos

Concurso PC TO tem preparativos em fase avançada, diz secretaria



Os preparativos para realização do novo concurso para Polícia Civil do Tocantins estão em fase avançada e devem ser concluídos em breve. A informação foi passada à Folha Dirigida nesta quinta-feira, 3, pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP TO).

De acordo com a pasta, a nova comissão organizadora do concurso, formada em janeiro, revisou alguns pontos do processo e propôs algumas alterações. Tais proposições serão debatidas em reunião com todos os membros ainda esta semana.

Confira a nota na íntegra:

“A Secretaria de Segurança Pública do Tocantins (SSP-TO) informa que a nova Comissão Organizadora do concurso público para provimento de cargos da Polícia Civil do Tocantins foi definida, procedeu na revisão do processo que se encontrava em andamento e propôs algumas alterações que serão debatidas em reunião com todos os membros ainda essa semana. O processo que precede o certame está em fase bastante avançada e será concluído em breve”.

A estimativa é que os trabalhos da comissão sejam concluídos até o final de março, conforme prazo estipulado na portaria que constituiu o grupo.

 Em 2021, o governo do Tocantins chegou a formar uma comissão organizadora do concurso PC TO. O presidente desse primeiro grupo, delegado Marcelo Falcão, chegou a informar que, no final do ano passado, o termo de referência da seleção estava em análise na Secretaria de Administração.

O documento funciona como um espelho para o edital. Com o parecer positivo da Secretaria de Administração, os preparativos para contratação da banca poderiam ser finalizados.

“Enviamos a minuta com o termo de referência que agora está sob análise da Secad, uma vez que, o certame é realizado pelas duas pastas. Após assinatura do termo de referência a comissão dará seguimento para escolha da banca organizadora da seleção”, destacou Falcão.

Concurso PC TO terá oferta superior a 300 vagas
Em 2021, a Secretaria de Segurança Pública de Tocantins informou que a previsão é que o novo concurso PC TO ofereça 332 vagas imediatas. Veja a distribuição por cargos:

Agente de polícia (nível superior em qualquer área e Carteira Nacional de Habilitação - CNH): 133 vagas;
Delegado de polícia (nível superior em Direito e CNH): 45 vagas;
Escrivão (nível superior em qualquer área e CNH): 58 vagas;
Papiloscopista (nível superior em qualquer área e CNH): 24 vagas;
Peritos (nível superior em áreas específicas e CNH): 60 vagas;
Agente de necrotomia (nível superior em Enfermagem e CNH): 12 vagas.
Os salários atualizados não foram informados. O número de vagas anunciado observa a Lei Complementar nº 173 de 17 de maio de 2020, que estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus.

Segundo a legislação, apenas os cargos que ficaram vagos desde a publicação da Lei podem ser preenchidos de forma imediata.

Conforme o então secretário de Segurança Pública do Estado, Cristiano Sampaio, a intenção era divulgar o edital em 2021, com provas aplicadas no início de 2022. Os trâmites, no entanto, atrasaram.

Último concurso para PC TO foi realizado em 2014
O último concurso para ingresso na Polícia Civil do Tocantins foi aberto em 2014. A oferta foi de 515 vagas para carreiras de nível superior. A seguir, confira a divisão das chances:

Delegado: 131 vagas (97 imediatas, 29 para cadastro e 5 para pessoas com deficiência);
Médico Legista: 12 vagas (9 imediatas e três para cadastro);
Peritos: 74 vagas (56 imediatas e 18 para cadastro);
Agente de necrotomia: 26 vagas (19 imediatas, 6 cadastro e 1 PcD);
Papiloscopista: 13 vagas (9 imediatas, 3 cadastro e 1 PcD);
Escrivão: 210 vagas (153 imediatas, 48 cadastro e 9 PcD);
Agente de polícia: 49 vagas (35 imediatas, 11 cadastro e 3 PcD).
O cargo de delegado exigiu o Bacharelado em Direito para inscrição. Os agentes, escrivães e papiloscopistas tiveram como requisito a graduação em qualquer área.

Enquanto para agente de necrotomia foi preciso ser graduado em Enfermagem. O perito legista deveria ter formação superior em Medicina. Enquanto o cargo de perito criminal exigiu graduação completa na área de atuação da vaga.

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) também foi exigida para todos os cargos. As remunerações, na época, chegaram a R$10.735,28, com possibilidade de reajustes.

Os candidatos foram avaliados por provas objetiva e discursiva, exames médico e psicológico, teste de aptidão física e avaliação de títulos. Além disso, passaram por um curso de formação.

O concurso foi homologado em 2017. O resultado final ficou válido por dois anos, sendo prorrogado, em 2019, por igual período. No decorrer desse tempo, os aprovados puderam ser convocados para preencher as vacâncias.

Fonte: Folha Dirigida  
TWITTER