Educação

Com a pandemia, empreender se tornou o segundo maior sonho do brasileiro

O relatório da Global Entrepreneurship Monitor (GEM) aponta que o número de brasileiros que pretentem abrir uma empresa nos próximos três anos chegou a 50 milhões de pessoas em 2020. Esse número representa um surpreendente aumento de 75% com relação às estimativaas anteriores. Agora, empreender se tornou o segundo maior sonho do brasileiro, ficando atrás penas de viajar. 

Para a consultora de negócios Alice Salvo Sosnowski, esta estatística é reflexo da pandemia, do desemprego e da incerteza do mercado. “Os brasileiros perceberam que o empreendedorismo pode ser um caminho viável e investir em novas ideias e negócios pode ser uma saída promissora para suas carreiras", explica. Mas adverte que é preciso planejamento e consciência de que o empreendedorismo é um caminho árduo, caso contrário "pequenos erros podem fazer com que o que parecia uma solução vire um problema ainda maior, com dívidas e sensação de fracasso”, ressalta.

Além disso, as estimativas do Sebrae apontam que os Microempreendedores Individuais (MEIs), são os mais suscetíveis à mortalidade de empresas. De acordo com a pesquisa Sobrevivência de Empresas (2020), a taxa de mortalidade de empreendimentos MEIs é de 29%, já as microempresas têm taxa, após cinco anos, de 21,6% e as empresas de pequeno porte, de 17%.

Em declaração à Agencia Brasil, o presidente do Sebrae, Carlos Melles, relaciona a acentuada taxa de fechamento de microempresas a três principais fatores:

  1. O primeiro diz respeito a falta de capacitação dos microempreendedores. Segundo a pesquisa, a maioria das pessoas estavam desempregadas antes de abrir seus negócios e não tiveram como se capacitar principalmente em gestão;
  2. O segundo fator é que, comparado às microempresas e empresas de pequeno porte, o preocedimento de abrir e fechar um MEI é muito mais simples, o que torna essa área mais volátil;
  3. Por fim, em 2020, a pandemia foi um dos principais agravantes para o encerramento de empresas, isso porque quanto menor a empresa, maior a dificuldade para conseguir crédito


Esses obstáculos, entretanto, não devem desanimar quem deseja empreender, ao invés disso, devem incentivar a busca por qualificação e aperfeiçoamento. Por isso o Vitrine selecionou cinco dicas de como você pode se planejar para abrir seu próprio negócio. Confira!
 

Invista em autoconhecimento

É fundamental ter clareza dos seus valores, propósitos e identidade para saber onde investir. Faça cursos, leia livros, frequente grupos de reflexão, pense nas suas prioridades de vida. O autoconhecimento é o maior patrimônio que você poderá construir na sua trajetória e terá reflexos benéficos em todas as áreas da vida.


Conheça objetivamente o mercado

Nem tudo é o que parece. Aquele food truck pode trazer muito mais encrenca do que o seu atual emprego, portanto pesquise o mercado onde quer atuar. Leia pesquisas setoriais no campo em que você quer atuar, procure reportagens sobre o assunto, mergulhe fundo no perfil do público que você quer atingir.


Encontre um problema a ser resolvido

Para encontrar uma oportunidade de negócios, nada melhor do que procurar problemas. De nada adianta ter uma ideia genial, se o seu negócio não tiver uma solução e alguém disposto a pagar por ela. Encontrar um problema a ser resolvido e ir de encontro ao desejo do consumidor é fundamental para iniciar a jornada empreendedora


Faça um planejamento financeiro

Preveja quanto você precisará para começar um negócio. Veja quais serão as despesas operacionais, capital de giro, pró-labore e salário de funcionários. A soma destas necessidades é o dinheiro que o empreendedor precisa para começar um negócio. Caso não tenha recursos, avalie adiar o investimento até que a situação financeira esteja mais segura. Aproveite para estudar o mercado e ampliar sua rede de relacionamentos.


Ative suas habilidades empreendedoras

Empreender não é um dom. Ninguém nasce um empreendedor pronto. Portanto, é possível, sim, aprender a ter atitudes e desenvolver habilidades empreendedoras como automotivação, foco, liderança, proatividade, iniciativa, planejamento e resiliência. Para isso, é preciso observar seus padrões de comportamento e estar disposto a aprender e mudar sempre. Escolha agir, não tenha medo de correr riscos, exponha suas ideias e exercite diariamente seu perfil empreendedor.

 

TWITTER
MAIS LIDAS
RECOMENDADAS