Educação

UFT se prepara para retorno presencial às aulas dia 7 de março



Após quatro semestres de ensino remoto, quase dois anos enfrentando os desafios impostos pela crise sanitária da Covid-19, a Universidade Federal do Tocantins (UFT) se prepara para o retorno presencial e gradual às aulas presenciais. A previsão para o regresso é o dia 7 de março, mas a decisão ainda passa pela avaliação e aprovação do Conselho Universitário (Consuni), órgão deliberativo supremo da Instituição.

Para que tudo aconteça de forma segura, a UFT, por meio das suas pró-reitorias, superintendências, diretorias, colegiados, representações de categoria e colegiados de curso tem discutido propostas de desenvolvimento das atividades acadêmicas. Para isso foi criado o Comitê Especial para o Planejamento do Retorno às Atividades Presenciais da UFT. O Comitê tem atuado com quatro frentes de trabalho e estudo: a de Ensino, que avalia como será o retorno às aulas, ofertas de disciplinas, entre outras questões; o de Biosegurança, que visa garantir o seguro retorno às atividades; de Qualidade Vida, que estuda como será o retorno ao trabalho dos técnicos e docentes e o de Infraestrutura.

O reitor da UFT, Luis Eduardo Bovolato, conta que a equipe está segura do retorno presencial e por este motivo, em fevereiro, a pauta será levada para o Consuni: “Acredito que essa decisão do retorno presencial está madura e isso está acontecendo em todo o país. Vamos voltar, na medida do possível, à normalidade, pois o ambiente universitário, a nossa estrutura, foi construído para o presencial. É claro que muito do que experimentamos no remoto, todas as boas experiências, serão aproveitadas”.


Volta às aulas

De acordo com a Pró-reitoria de Graduação da UFT (Prograd), a retomada ao ensino presencial se dará diante de condições sanitárias e de atendimento de saúde pública, de forma planejada, gradual e segura à comunidade acadêmica, preservados o distanciamento e a redução significativa do número de estudantes no encontro presencial e com a adoção das medidas de segurança biológica definidas pelo Comitê Institucional Covid-19, por meio do Protocolo de Biossegurança da UFT e respeitando as medidas sanitárias de cada cidade e estado do Tocantins.

Eduardo Cezari, pró-reitor de graduação, afirma que nos últimos anos a Universidade, como espaço singular de produção de conhecimento e símbolo de resistência, adaptou-se ao novo cenário, não na forma "ideal", mas na forma possível. “O ano de 2022 será também desafiador, de busca pelo equilíbrio entre o vivido e o sonhado. De mediação, de diálogo, de reflexão, de disrupturas e de reconstrução das relações, tão marcadas pela ‘presença virtual’", pondera ele.

Cezari conta ainda que foi feito um estudo detalhado das portarias, experiências e documentos elaborados por diversas instituições; em agosto deste ano foi feita uma reunião prévia com as Direções de Câmpus para sinalizar a necessidade de algumas análises tendo em vista a possibilidade de retorno em 2022. Além disso, foi elaborada uma Minuta de Resolução que abarcasse as demandas dos câmpus e colegiados para o retorno gradual, condicionando esse retorno com as normas de segurança e biossegurança. Essa minuta foi apresentada às Coordenações de Curso, Direções de Campus e Secretarias Acadêmicas e encaminhada para envio de contribuições pela Comunidade Acadêmica e representação das categorias por meio de formulário específico. Só então, considerando a complexidade de alguns itens do planejamento e organização acadêmica, será publicada Resolução com orientações específicas para o retorno seguro.


Como será?

A oferta dos componentes curriculares será integral, para que os estudantes não tenham prejuízo, e distribuída, para reduzir a possibilidade de aglomeração em dias e horários sobrepostos. O planejamento da oferta foi realizado pelos colegiados de curso, visando uma melhor distribuição de dias e horários para evitar aglomeração.

A Prograd afirma que os cursos receberam orientações e suporte para realização de planejamento e definição dos componentes curriculares, formato de oferta híbrida ou presencial, mediante a observância de alguns critérios, tais como: os componentes curriculares não ofertados durante a vigência do ensino remoto, em razão da carga horária prática; atividades práticas não compatíveis com o ensino remoto; necessidade de acolhimento dos acadêmicos que ingressaram durante o período de Ensino Remoto; necessidade de integralização do currículo para alunos concluintes; entre outros aspectos.

Além disso, será publicado até janeiro todos os Quadros de Horário das Turmas (Oferta de Disciplina) no site e Portal do Aluno da UFT, podendo o aluno, desde já, entrar em contato com sua Coordenação para obter informações sobre o planejamento.

O pró-reitor de Graduação destaca ainda, como já informado no planejamento, que caso haja mudança no cenário da pandemia, necessidade e redução dos limites de biossegurança que possibilitem aumento de vagas nas disciplinas presenciais, o sistema permite a alteração até a data anterior ao processamento das solicitações de matrícula em fevereiro. Também será possível cancelar turmas que, por alguma razão não poderão ou não precisarão ser ofertadas, com ampla divulgação aos alunos. 
TWITTER
MAIS LIDAS
RECOMENDADAS