Suce$$o Profissional

Os cursos técnicos mais procurados em 2020


Por Redação Jornal de Brasília

A formação técnica, de menor duração e mais alinhada ao mercado de trabalho que o ensino superior tradicional, foi a opção de milhares de brasileiros que buscaram se qualificar em 2020. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) registrou 166.786 matrículas em cursos técnicos e 223.133 em cursos de qualificação profissional voltados para as necessidades da indústria, que hoje emprega 9,7 milhões de pessoas – ou 20,4% do total de empregos formais do país.

Os cursos técnicos têm duração de no mínimo 1 ano, podendo chegar a 3 anos; e o aluno deve estar cursando ou ter concluído o ensino médio. Por preparar o indivíduo para o exercício de uma profissão, é muito procurado pelos jovens, de 16 a 23 anos, que representaram 50,8% (84.770) das matrículas em 2020.

Ainda que o percentual diminua conforme a faixa etária avança, 14.168 pessoas com mais de 41 anos viram no curso técnico a oportunidade de se reinventar ou garantir um emprego em um ano de pandemia. Para garantir a manutenção do calendário, as escolas realizaram a parte teórica dos cursos com Ensino a Distância (EaD), simuladores 2D e 3D e conteúdo multimídia audiovisual.

O SENAI tem 71 cursos em seu portfólio e, na lista dos 20 mais requisitados (veja abaixo), o destaque são as ocupações transversais, formação coringa que permite ao estudante exercer funções em quase todos os segmentos industriais. É o caso dos técnicos em eletrotécnica (1º), em mecânica (3º), segurança do trabalho (7º) e em redes de computadores (15º).

Para se ter uma ideia, com a pandemia e a escassez de ventiladores pulmonares nas redes de saúde públicas e privadas, o SENAI e grandes indústrias direcionaram profissionais das áreas de eletrotécnica, eletrônica, elétrica, mecânica, biomédica e segurança do trabalho para o reparo dos equipamentos.

Profissões ligadas às novas tecnologias

De olho nas tecnologias e nas necessidades da indústria 4.0, os alunos também têm se interessado por cursos como o de automação industrial (4º) e eletroeletrônica (8º). E, entre as tendências que o SENAI identificou nos estudos Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023 e Ocupações do pós Covid-19 com alta demanda em 2020 estão mecatrônica (5º), desenvolvimento de sistemas (9º) e logística (11º).

“Apesar de ter sido um ano atípico, a procura pela formação técnica e por esses cursos mostra que o brasileiro, e o jovem especialmente, sabe que tem um leque maior de atuação ao escolher ocupações consideradas essenciais, ou transversais como chamamos. Mas também temos aqueles que buscam especializar-se e estão de olho nas tendências”, observa o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

Ele destaca que as 28 áreas da indústria – que variam de alimentos e automotiva a telecomunicações e energia – precisam de profissionais qualificados para lidar com os desafios da revolução tecnológica. De acordo com a última Sondagem Industrial, o setor acumula sete meses consecutivos de alta no emprego. Ao definir o portfólio e o currículo dos cursos, o SENAI avalia essa demanda e as projeções do mercado de trabalho para os próximos anos.

Qualificação Profissional

Diferentemente dos cursos técnicos, os de qualificação profissional são de, no mínimo, 160 horas, e duram, em média, três meses. Voltados para quem busca desenvolver uma competência para o exercício de uma profissão ou para quem deseja se requalificar, exigem uma escolaridade mínima, mas dispensam conhecimento técnico prévio.

Lideram, com o maior número de matrículas, os cursos de assistente administrativo, assistente de controle de qualidade, eletricista industrial, assistente de recursos humanos e operador de computador. Mas a lista abrange habilidades técnicas específicas, como eletricista de redes de distribuição de energia elétrica, inspetor de qualidade e mecânico de motocicletas.

Os jovens continuam sendo o maior público desse tipo de curso: entre as mais de 223 mil matrículas registradas, 39,3% são de pessoas na faixa etária de 16 a 23 anos e 26,1% de 24 a 31 anos.


Acesse


Conheça os cursos no Guia de Profissões do Mundo SENAI. No mesmo site, na página do curso técnico escolhido, estão listadas as unidades com matrículas abertas. E confira o salário médio e a descrição dos técnicos dos cinco cursos mais procurados em 2020:

Técnico em eletrotécnica: projeta, instala e realiza a manutenção de redes e equipamentos dos sistemas elétricos industriais, prediais e residenciais e de infraestrutura.
Salário médio R$ 4.909,06

Técnico em eletromecânica: realiza instalação, montagem e manutenção de sistemas mecânicos, elétricos e automatizados, máquinas e seus componentes e peças.
Salário médio R$ 4.494,42

Técnico em mecânica: é responsável pela gestão direta da confecção de peças e componentes mecânicos e participa da manutenção mecânica de sistemas automatizados de máquinas e equipamentos industriais.
Salário médio R$ 4.535,59

Técnico em automação industrial: desenvolve, opera e realiza manutenção de ferramentas de tecnologia e de sistemas de controle, automação e robótica.
Salário médio R$ 4.687,92

https://www.mundosenai.com.br/profissoes/projeta, constrói e repara equipamentos automatizados, além de programar aparelhos e sistemas autônomos e robóticos. Pode atuar em linhas de produção industriais automatizadas e em sistemas de distribuição, logística e controle de qualidade.
Salário médio R$ 4.687,92
Leia sobre: Curso TécnicoSenai
TWITTER
MAIS LIDAS
RECOMENDADAS

A busca por um emprego exige otimismo com o que se quer alcançar e realismo...